MEUS SEGUIDORES

quinta-feira, 17 de maio de 2012

TEXTOS ENGRAÇADOS- HUMOR SADIO



SORRIR FAZ BEM



Está comprovado que bom humor e otimismo vacinam nosso corpo contra todo tipo de doença. O funcionamento do corpo melhora e várias dores diminuem visivelmente.
Quem sorri estimula o cérebro a liberar endorfina e serotonina — substâncias responsáveis pela sensação de prazer e felicidade. Essas substâncias proporcionam uma sensação de leveza e bem-estar, além de ativarem o sistema imunológico. Essa imunização ajuda a prevenir, principalmente, doenças ocasionadas por elevado grau de estresse.
O sorriso combate a depressão e o estresse, diminui a pressão arterial, melhora a digestão, desintoxica o organismo, espanta a dor e até deixa a pele mais bonita. Além disso, se você está sempre sorrindo, as pessoas irão querer sempre ficar perto de você e sua convivência social será muito favorecida.
Sorrir é um remédio sem efeitos colaterais; não precisa de prescrição e é de graça. Por isso, pare de franzir a testa e solte uma boa gargalhada sempre que possível que os benefícios virão.
Segue alguns textos engraçados, lembre-se sorrir é um remédio sem efeitos colaterais e é de graça!!!




BEM VINDA AO PARAISO( Autor desc.)
Após um longo período de doença, o marido morre e chega aos portões do Céu.
Enquanto aguardava São Pedro, ele espiou pelas grades e viu seus pais, amigos e todos que haviam partido antes dele, sentados à mesa, apreciando um maravilhoso banquete.

Quando São Pedro chegou, ele comentou:
- Que lugar lindo! Como faço para entrar?
- Eu vou falar uma palavra. Se você soletrá-la corretamente na primeira VEZ você entra; se errar vai direto para o inferno.
- Ok. Qual é a palavra?
- AMOR, respondeu São Pedro.
- A - M - O - R !
Ele soletrou perfeitamente e de primeira. Passou pelos portões.

Cerca de um ano depois, São Pedro pediu que ele vigiasse os portões aquele dia. Para surpresa dele, a sua mulher apareceu.
- Oi! Que surpresa! - disse ele.
- Como você está?
- Ah, eu tenho estado muito bem desde que você morreu... Casei-me com aquele belo enfermeiro que cuidou de você, recebi seu seguro de vida e fiquei milionária. Vendi a casa onde vivemos e comprei uma mansão. Eu e o meu lindo marido viajamos por todo o mundo. Estávamos de ferias e eu fui esquiar hoje. Caí, o esqui bateu na minha cabeça e cá estou eu. E agora, como faço para entrar, querido?

- Bem, aqui tem uma regra pra entrar. Eu vou falar uma palavra. Se você soletrá-la corretamente na primeira vez, você entra, senão vai para o inferno.

- Tá, qual é a palavra?

- "ARNOLD SCHWARZENEGGER"...



Olha o que o casamento pode fazer....


ANTES - Minha gatinha, meu ursinho, minha coelhinha (bichinhos pequenos e fofinhos).
DEPOIS - Os bichos crescem: Sua vaca, seu cachorro, sua galinha...

ANTES - Você me tira o fôlego...
DEPOIS - Você está me sufocando...
.

ANTES - Duas vezes (ou mais) por noite...
DEPOIS - Duas (ou uma) vezes por mês...

.
ANTES - Ela diz que adora o jeito como eu controlo a situação...
DEPOIS - Ela diz que eu sou um maníaco egocêntrico e manipulador...
.

ANTES - Os embalos de sábado à noite...
DEPOIS - O futebol de domingo à noite...

ANTES - Não pára!
DEPOIS - Nem vem!

ANTES - Você vai comer só isso?
DEPOIS - Talvez fosse melhor comer só a salada...

ANTES - É como se eu estivesse sonhando...
DEPOIS - Estou tendo um pesadelo...

ANTES - Concordamos em tudo!
DEPOIS - Ela não pode tomar nenhuma decisão?

ANTES - Cueca de seda.
DEPOIS - Samba-canção (aquela do pacote com 3).

ANTES - Adoro suas curvas.
DEPOIS - Eu nunca disse que você está gorda?


ANTES - Ele está completamente perdido por mim...
DEPOIS - Por que ele não pede informações?

ANTES - Croissant e capuccino.
DEPOIS - Café com margarina.

ANTES - Você fica tão sexy de preto...
DEPOIS - Suas roupas são tão deprimentes...

ANTES - Camarão.
DEPOIS - Sardinha em lata.

ANTES - Biquini "Asa delta"...
DEPOIS - Maiô tipo americano...

ANTES - Garrafa de vinho.
DEPOIS - TANG sabor de uva.

ANTES - Camisa dentro da calça...
DEPOIS - Barriga fora da calça...

ANTES - Não acredito que tenhamos nos encontrado...
DEPOIS - Não acredito que acabei ficando com você...

ANTES - Vem para cama que eu estou te esperando...
DEPOIS - Levanta seu molenga, que tá na hora...

ANTES - Paixão.
DEPOIS - Que horas são?

ANTES - Vem cá benzinho que eu esquento seu pézinho...
DEPOIS - Sai com esse pé frio pra lá...

ANTES - Perfume francês.
DEPOIS - Avanço.

ANTES - Benzinho p'ra cá, benzinho p'ra lá..
DEPOIS - Meus bens pra cá... os teus... pra cá também.


O Defeito do Outro pode ser o Seu( Autor desc.)

 

Uma mulher olhou do seu vitrô, apontou para o quintal da vizinha e disse ao marido:
-Há dias venho observando como é encardida a roupa da vizinha.Eu teria vergonha de pendurar no varal uma roupa tão mal lavada.Isso é relaxamento, um desleixo...Na verdade, acho que é preguiça.

O tempo passava... e, cada vez que ela voltava a observar, as roupas tinham um aspecto pior.

Certo dia, uma surpresa! Ao reparar nas roupas da vizinha, ficou abismada. Estavam, brancas, limpinhas, as cores vivas.
-Criou vergonha - disse ela. - Perdeu a preguiça e esfregou mais, ou então trocou a marca do sabão.
-Nada disso - replicou o marido - fui eu que lavei.

-Lavou a roupa da vizinha????
-Não, mulher, lavei o vidro da janela. Era ele que estava encardido.

"O defeito nem sempre está no outro, repare bem se o problema não é com você..."

 A FÁBULA DOS DOIS LEÕES( Autor desc.)

 Diz que eram dois leões que fugiram do jardim zoológico. Na hora da fuga cada um tomou um rumo, para despistar os perseguidores. Um dos leões foi para as matas da Tijuca e outro foi para o centro da cidade.

Procuraram os leões de todo jeito mas ninguém encontrou. Tinham sumido, que nem o leite. Vai daí, depois de uma semana, para surpresa geral, o leão que voltou foi justamente o que fugira para as matas da Tijuca. Voltou magro, faminto e alquebrado. Foi preciso pedir a um deputado do Ptb que arranjasse vaga para ele no jardim zoológico outra vez, porque ninguém via vantagem em reintegrar um leão tão carcomido assim. E, como deputado do PMI arranja sempre colocação para quem não interessa colocar, o leão foi reconduzido à sua jaula.

Passaram-se oito meses e ninguém mais se lembrava do leão que fugira para o centro da cidade quando, lá um dia, o bruto foi recapturado.

Voltou para o jardim zoológico gordo, sadio, vendendo saúde.

Apresentava aquele ar próspero do Augusto Frederico Schmidt, que, para certas coisas, também é leão. Mal ficaram juntos de novo, o leão que fugira para as florestas da Tijuca disse pro coleguinha:

- Puxa, rapaz, como é que você conseguiu ficar na cidade esse tempo todo e ainda voltar com essa saúde? Eu, que fugi para as matas da Tijuca, tive que pedir arrego, porque quase não encontrava o que comer, como é então que você. . . Vá, diz como foi.

O outro leão então explicou:

- Eu meti os peitos e fui me esconder numa repartição pública. Cada dia eu comia um funcionário e ninguém dava por falta dele.

- E por que voltou pra cá? Tinham acabado os funcionários?

- Nada disso. O que não acaba no Brasil é funcionário público. É que eu cometi um erro gravíssimo. Comi o diretor, idem um chefe de seção, funcionários diversos, ninguém dava por falta. No dia em que eu comi o cara que servia o cafezinho. . . Me apanharam.


A LOIRA DO BANHEIRO
- Mãe, você tem que vir aqui na escola buscar a Camila. Disse a secretária da escola.
- Buscar a Camila! Por quê? Aconteceu alguma coisa com a minha Camilinha. Assustada, perguntou a mãe da menina.
- Não foi nada de grave não mãe. Mas você tem que vir aqui buscá-la. Confirmou a secretária.

Assim que a mãe da garotinha chegou à escola a secretaria lhe explicou que a Camila estava com vontade de ir ao banheiro, mas ela não queria de jeito nenhum usar o banheiro da escola.  Por isso a mãe tinha que levar a garotinha para casa.

A mãe levou a filha para casa. Depois que elas já estavam em casa a Camilinha até que enfim foi ao banheiro.

- E aí filha? Está melhor agora? Perguntou a mãe da garotinha.
- Tô! Respondeu a Camila.
- Filha, por que você não quis ir usar o banheiro da escola? Você não gosta de lá? Estava sujo? Curiosa, perguntou a mãe.

A menina ficou um pouco em silêncio e, diante da insistência da mãe, ela falou:

- Eu não fui ao banheiro da escola por que eu estava com medo. Disse a menina.
- Medo! Medo do quê? Foi por causa de algum bicho? Perguntou novamente a mãe.
- Não, não foi bicho. Eu tenho medo da loira do banheiro. Comentou a garotinha.
- Loira do banheiro! Ah! Filha que bobagem. Isso não existe. Isso é uma lenda urbana. Falou a mãe.
- Existe sim! A Beatriz me falou que um dia ela estava lá no banheiro e entrou uma mulher velha e loira que estava vestindo roupa azul e disse que era para ela esperar que ela iria buscar um saco.
A Beatriz disse que ela teve muito medo porque outro dia o irmão dela também tinha falado do homem do saco. Ela ficou imaginando que era a mulher loira do saco. Ela disse que ela nunca tinha visto aquela mulher antes.
Mamãe! Agora eu também estou com medo de encontrar essa mulher. Desabafou a garotinha.

A mãe comentou o fato com a escola.

- Mãe, pode ficar tranquila. Sabe como é criança né? A propósito. A loira em questão é a Dona Isabel. Ela é a nossa nova faxineira. Ela é um amor de pessoa.


Edilson Rodrigues Silva
PERDIDO NA CIDADE ( Autor desc.)


Um caipira veio pra cidade grande e ficou completamente perdido.
Então perguntou pra um sujeito que estava sentado na praça, fumando.
— Dia, moço... O sinhô sabe onde é que fica o terminal de Ônibus da Praça da Arve?
— Praça da Árvore? — corrigiu o sujeito.
— Isso, exatamente... Praça da Arve!
— Fica ali, ó! Na primeira rua à esquerda. Qualquer idiota sabe!
— Mais é por isso mesmo qui eu perguntei pro sinhô, uai! 


 ENVELHECI, NÃO TEVE OUTRO JEITO (Branca- LUSO POEMAS)
 Envelheci.
Não foi escolha, aconteceu.
Creminhos, dietinhas, chazinhos, e mil jeitinhos.
Uma melhorazinha aqui outra acolá, mas tudo enganação.
Não tem pra onde ir.
Os anos de levam, e nunca te trazem,
E te enchem a bagagem de rugas, flacidez, e tantos remédios.
E aí para alguns que se casam como rende a família!
Netos, bisnetos e ultimamente tataranetos,
Rendem tanto como os livros na estante que vamos comprando depois que aposentamos.
Um clã e tanto somos capazes de produzir.
Mas não tive escolha, muito menos planejamento, e assim eu me tornei um monte de gente.
Outra coisa que percebi é o tanto que mudamos o pensamento
Quando menina tinha certeza que velha eu não ia ficar. Hoje também estou cheia de certezas: moça eu também não vou ficar.
Mas teimo diante do espelho, pura ilusão ou burrice mesmo.
Bem, há quem diga que tenho que ser positiva.
“ Com a velhice vem a madureza”...
Conversa pra boi dormir.
Ótimo, sei tanto quanto eu tinha 18 anos,
E a madureza que aprendi foi a de desconfiar.
Acho que é isso, não nos precipitamos, desconfiamos mesmo antes de agir.
Vejam só, meu neto de 7 anos consegue pagar minhas contas na internet, fez um email pra mim mas ainda não sei abrir. Sabe como funciona meu celular, o GPS do carro do pai, e ainda dá palpite na política do país. Eu com 7 anos conhecia banco pra se sentar e não pra guardar dinheiro.
Hoje, com tempo de sobra, preencho as horas passeando em livrarias, tricotando ou conversando sobre o rol de enfermidades que vão aparecendo, e claro trocando dicas de tratamentos com tantas amigas senis.
Não sou daquelas que amam as plásticas, mas confesso que cogitei.
Então, achei melhor não, meus filhos, todos do contra é claro, acharam-me sensata.
Mal sabem eles que foi a tal desconfiança misturada com medo mesmo. Porque vergonha a gente com a idade vai perdendo, e mostrar minhas pelancas para um cirurgião já não me deixariam constrangida. Porque constrangimento mesmo é com 18 anos ter que enfrentar um baile com uma espinha no rosto.
Bem, há suas vantagens, nem tudo neste corpo mais vivido é desgraça.
Tenho vagas no estacionamento privilegiadas e não enfrento filas, se bem que as filas da terceira idade estão ficando cada vez maiores.
Pacotes de viajem, faculdades, teatros, tudo com mais descontos.
Mas, a disposição também fica com mais descontos.
Bem, não foi minha escolha ficar assim,
Mas se fiquei vou até o fim.
Saber no que dá a gente já faz uma idéia.
Enquanto isso, vou escrevendo algumas bobagens e deixando por aí, quem sabe alguém resolve ler.
Assim acho que vou envelhecendo mais disfarçadamente, e com menos tempo de olhar no espelho...


A Placa( Autor desc.)

 



O chefe de um departamento, sentindo que seus subordinados não respeitavam a sua liderança, resolveu colocar uma placa na porta de seu escritório onde se lia:


"Aqui quem manda sou eu"
Após ter voltado de uma reunião, viu o seguinte bilhete junto à placa:

"Sua esposa ligou e pede para que devolva a placa"

13 comentários:

  1. Eu achei muito bom esses textos apesar de nao ler todos Lourdes Duarte esta de parabens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita, volte sempe. Abraçoss

      Excluir
    2. Eu achei muito legal o texto do "Perdido na Cidade" Parabens

      Excluir
  2. Muito bom mesmo.parabens!!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom seus textos Lourdes Duarte , o qual que eu mais gostei foi a da loira do banheiro Parabens!!!!

    ResponderExcluir
  4. Gostei da ideia dos textos Lourdes Duarte. Utilizei o Bem Vinda ao Paraíso para leitura deleite com minha equipe de professores em encontro de estudo, todos amaram. Parabéns pelo Blog
    Professora Eliane Aquino

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. FICO FELIZ QUE GOSTOU E LHE SERVIU PARA SEU TRABALHO COMO MOTIVAÇÃO E REFLEXÃO COM OS COLEGAS. VOLTE SEMPRE, ABRAÇOS.

      Excluir
  5. Muito legal! Dei umas boas risadas!

    ResponderExcluir
  6. Olá Professora Lourdes!

    Sou o Joaquim e meu nome em artes é JARNETO Rezende. Moro em Nova Andradina no Mato Grosso do Sul. Conheci seu blog e adorei todos os textos! Tem para muitos gostos! Uma de minhas preferências é ler em voz alta e interpretar o texto, pois também faço gravações, para podcasts. Estou interessado em publicar alguns desses textos dessa forma, se possível. Estarei indicando os autores e seu blog. Obrigado e parabéns pela sua iniciativa!

    Atenciosamente,

    Joaquim Albernaz

    ResponderExcluir
  7. Gostei MUITO dos textos parabéns Lourdes Duarte me ajudou no meu trabalho!!😉😉

    ResponderExcluir
  8. Adorei ler tudo ,eu estava bem depressiva pela a morte da minha querida mãe que faz só mês .Dei até um pouco de risa,em fim consegui me divertir um pouco,obrigada

    ResponderExcluir

Muitas vezes, a correria de nossas vidas nos impede de dar atenção ao que realmente vale a pena. Agradecer é uma das coisas que acabam ficando esquecidas nesta correria do dia-a-dia.
Pode ser por um simples gesto ou por uma grande atitude, mas o agradecimento nunca deve ser esquecido. Obrigada pela atenção e carinho e por ter vindo até aqui comentar minha postagem. Saiba que é importantíssimo para a valorização do que escrevemos.
Siga meus blogs, será um prazer lhe ter como seguidor (a)

Abraços, Profª Lourdes Duarte

http://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com.br/
https://lourdesduarteprof.blogspot.com.br/